Ribeira GrandeGastronomia

Modo fotográfico

Ribeira Grande - Gastronomia

A comida que é servida nos nossos restaurantes é considerada da melhor que a ilha oferece. A oferta é diversificada e prima pela qualidade. Os queijos, os enchidos e os doces, de fabrico local, fazem do início e final de uma refeição a delícia de quem nos visita, transportando-nos à cozinha dos nossos avós.

A riqueza do nosso mar oferece peixe e marisco frescos que se apresentam das mais variadas formas: grelhado, frito, em caldeiradas ou em sopas representam os modos mais comuns de o cozinhar. Nas nossas casas de pasto, destaca-se o polvo guisado em vinho tinto com um tempero próprio.

As pastagens características da ilha conferem aos pratos de carne uma qualidade e sabor genuínos. De entre uma oferta variada, destaca-se: a carne guisada, a dobrada com feijão, a fava-rica com chouriço, o “cozido” confeccionado, nas fumarolas das Caldeira da Ribeira Grande e o típico “bife à micaelense”.

Visitar a Ribeira Grande envolve conhecer a sua gastronomia.

  • Peixe grelhado

    Prato muito apreciado por locais e visitantes, o peixe fresco do dia pronto para grelhar, pois conserva todo seu sabor acompanhado por batata terra, inhame, cebola curtida e tiras de pimenta de terra, prato simples rico em sabores.

  • Chicharros fritos ou assados

    Preparados de modo muito próprio, envoltos em farinha de milho e fritos em banha de porco uu óleo e servidos com molho de vilão, ou, assados na sertão de barro acompanhados com molho verde representam a unicidade do mais típico da gastronomia local. Degustar estes pratos é voltar atrás no tempo.

  • Caldeirada

    Tendo por base peixes suculentos como o Congro, a Abrotea ou Bodião, a “Caldeirada” oferece uma explosão de sabores pela riqueza da sua composição. Cebola, tomates frescos, pimentos entre outros ingredientes que juntamente com o peixe vão cozinhar em lume brando, destilando todo o seu sabor, transformando o num prato pleno e único. Ao servir deve ser sempre guarnecido por fatias de pão que vão absorver o seu abundante caldo.

  • Polvo guisado

    Com algumas pequenas alterações, o polvo guisado ou assado é um prato típico da ilha de São Miguel. Na Ribeira Grande, o melhor polvo comesse nas casas de pasto. Cozinhado em vinho tinto, temperado com pimenta da terra e servido com batata cortada em pedaços pequenos quer se apetitoso.

  • Fava-rica

    Um dos pratos mais antigos da nossa gastronomia regional. Rico e forte são os dois adjetivos que melhor o caraterizam. Feito com fava seca que deverá ser demolha de véspera e cozinhada de modo lento, transformando-se num caldo espesso e tentador que pode ser servido apenas como petisco ou como prato principal, quando acompanhado por inhame pão de milho e um bom copo de vinho.

  • Carne guisada

    Carne de vaca cortada, em pedaços pequenos, de preferência com bocadinhos de osso, bem temperada, onde a pimenta da terra e vinho de cheiro afiguram-se como principais ingredientes. Este prato, de cor avermelhada, deve ser servido quente acompanhado por batata aos cubos. Especialidade das nossas casas de pasto.

  • Cozido das Caldeiras

    Prato emblemático da ilha de São Miguel, cozinhado no interior da terra, nas fumarolas da Lagoa das Furnas e das caldeiras da Ribeira Grande. É a iguaria mais completa que a nossa gastronomia local oferece. Composto por carne de vaca, porco, galinha; pelos vegetais, batata, batata-doce, inhame, cenoura, repolho e couve verde e pelos dois enchidos regionais a morcela e o chouriço fazem deste prato a delícia dos locais e de todos os que nos visitam. Todos os ingredientes são colocados em camadas num tacho fechado com a tampa e coberto com um pano branco, vai a cozer a uma temperatura média de 90 graus (caldeiras da Ribeira Grande) durante 6 horas.

  • Bife à Micaelense

    O bife tem como primeira essência a qualidade da carne que é inquestionável na região. De corte cuidado e preciso é temperado com um pouco de pimenta da terra, muito alho e frito em manteiga, servido com tiras de pimenta da terra salgadas e acompanhado de batata frita. Uma verdadeira delicia para quem aprecia carne.

Sabia que...

Entre 1835 e 1856, a madre Margarida Isabel do Apocalipse criou o Arcano Místico.