Ribeira GrandeNotíciasTurismo

Trilho da Barquinha reforça aposta da autarquia no pedestrianismo

Trilho da Barquinha reforça aposta da autarquia no pedestrianismo
Trilho da Barquinha reforça aposta da autarquia no pedestrianismo
Trilho da Barquinha reforça aposta da autarquia no pedestrianismo
Trilho da Barquinha reforça aposta da autarquia no pedestrianismo

Enviada à em 2015-12-22 | Turismo

O presidente da Câmara de Ribeira Grande, Alexandre Gaudêncio, inaugurou hoje o trilho da Barquinha, o terceiro percurso desenvolvido pela autarquia no corrente ano (já tinham sido abertos os trilhos da nascente termal da Caldeira Velha e o downhill/Bandeirinha), reforçando-se desta forma a oferta turística no concelho aos visitantes que procuram os percursos pedestres.

“Este trilho, bem como os restantes que já abrimos este ano, fazem parte da estratégia definida pela Câmara de Ribeira Grande em abrir mais trilhos municipais, na medida em que constituem uma forma de incentivar a uma maior presença e permanência dos turistas no concelho”, referiu.

Alexandre Gaudêncio destacou também que a aposta da autarquia vai ao encontro da “crescente procura da Ribeira Grande como destino turístico que se afirma cada vez mais e entronca igualmente nas recomendações que constam do Plano Estratégico para o Turismo da Ribeira Grande.”

O trilho da Barquinha é um percurso municipal que se inicia na estrada regional, no limite nascente da freguesia da Lomba da Maia. É uma pequena rota linear com começo em estrada de asfalto que entra depois num antigo caminho de pé posto utilizado pelos moleiros e homens da terra até à década de 80 do século XX.

Toda a costa compreendida entre as localidades da Ribeira Funda e Maia ainda hoje é conhecida como importante zona de moagem de milho, produção de vinha e de fruta em geral. Durante o passeio os pedestrianistas podem desfrutar de várias vistas sobre a costa norte. O percurso termina na estrada secundária de acesso à praia da Viola.

Ao longo do percurso surgem diversos pontos de interesse como o abrigo (estrutura utilizada para abrigo dos moleiros e agricultores), o miradouro da Eira (área plana onde se realizava a malha das leguminosas secas, como o feijão e a fava) e a barquinha, que dá nome ao trilho, pequena península formada por escoada lávica basáltica, utilizada pela população para a pesca e banhos de mar, localizada na foz da ribeira do Preto.